sexta-feira, 30 de julho de 2010


ontem foi um dia estranho, cheio de coincidencias estranhas
porem nada causava estranheza
tudo, tudo acabava por ser estranhamente familiar
Mesmo a dor, as dores, sempre presentes
as da alma, as do corpo,
presentes, mesmo assim não doiam
Só estavam, permaneciam
Uma quietude, aceitação
como se eu observasse de fora de mim
Como se sempre fôra assim
de verdade

.

3 comentários:

São disse...

Minha amiga, o seu poema , lindo e triste, me tocou muito.

Que Deus a acompanhe é o desejo que envio numa grande abraço.

walter disse...

Olá!

bonito teu blog!

ah...! não utilizo filtros nas minhas fotos, apenas procuro utilizar todos os recursos que a máquina fotográfica me oferece...

mas confesso que às vezes é difícil acertar com a luz correcta, temos que ser muito insistentes... fotograr
dezenas e dezenas de vezes o mesmo objecto sempre com exposições de luz diferentes, alguma se irá destacar e essa será sempre a nossa compensação por todo o tempo que não foi perdido, antes ganho...

grande abraço daqui, do outro lado do mar!

Walter

walter disse...

rsrsrs...
queria dizer fotografar e não fotograr...

fica o reparo!

bom domingo
walter

PROCURO UMA CLAREIRA, UMA OCARA, UM ESPAÇO, PARA ENCONTROS E TROCAS

BEM VINDO !

AQUI SEGUEM OS RELATOS DAS MINHAS AVENTURAS E DESVENTURAS, SÒZINHA OU COM MINHA FAMÍLIA ONDE MUITOS NÃO GOSTAM DA MATA OU DE MIM.

Reinício em 11/02/2011